“Em 2020, veremos Sergipe novamente como um campo de geração de emprego”, afirma presidente da ACESE

Por Assessoria de Comunicação

Publicado em 25/11/2019 as 17:30

A retomada das atividades na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen-SE) em Sergipe, associada às novas descobertas e início da exploração de campos de gás natural e ao início das atividades da termelétrica no município de Barra dos Coqueiros, na avaliação do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (ACESE), Marco Pinheiro, poderão caracterizar o início de um processo de retomada na geração de emprego em diversos setores do Estado.

“Sergipe vem seguindo, pouco a pouco, a tendência nacional em geração de empregos formais. Somando os números positivos, vemos setores como a indústria de transformação, serviços, agricultura e comércio dando sinais importantes de recuperação”, afirmou Marco Pinheiro, que acredita que a tendência é que setores importantes passem a atrair mais olhares e investimentos, graças a importantes ações da iniciativa privada.

De acordo com Pinheiro, alguns fatores foram fundamentais. “É importante salientar que as iniciativas do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e entidades como o SEBRAE-SE tem procurado ampliar o leque de empresas que investem em Sergipe, ao mesmo tempo que acompanhamos a regularização de pequenos empreendedores por meio da Lei da Liberdade Econômica, tirando da informalidade quem busca empreender”, explicou.

Ainda de acordo com o presidente da ACESE, a iniciativa privada será fundamental para o crescimento do Estado. “A iniciativa privada tem se mostrado disposta não apenas ao produzir em Sergipe, mas contribuir para o fomento de ações, seja por meio de parcerias público-privadas ou por meio de iniciativas que buscam melhorar o ambiente de negócios. Em consonância com ações do setor público e com as melhorias em nossa infraestrutura, em 2020, veremos Sergipe novamente como um campo de geração de emprego, e isso é positivo para todos”, complementou. “Tivemos melhorias, mas precisamos que o Governo do Estado e as prefeituras aprofundem medidas que impulsionem o empreendedorismo, reduzindo burocracias, seguindo a tendência do Governo Federal, para que seja possível ver o Sergipe crescer, compreendendo as necessidades do setor produtivo”, concluiu Pinheiro.