Zezinho fala com moradores do Bugio sobre a violência

Por Anna Paula Aquino

Publicado em 17/08/2018 as 18:01
Foto: Anna Célia

Nessa quinta-feira (16), o vereador Zezinho (PTB) se reuniu com a comunidade do Bugio no colégio Saulo Luiz. Na oportunidade a população relatou os alto índice de assaltos que têm acontecido na região.

Na reunião, o comandante do 8º Batalhão (responsável pelo policiamento do bairro) Major Giovane, e a representante do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP 190), subtenente Wilka, também puderam ouvir os relatos e queixas da comunidade em relação aos pedidos de socorro e denúncias feitas ao CIOSP 190. Na ocasião, foram colhidos dados dos locais mais críticos para que seja feita uma ação planejada no bairro.

Morador do loteamento Nova Liberdade, o sargento Eraldo relatou diversas situações que aconteceram com seus familiares na região. “Meu filho já foi assaltado e até eu mesmo ia sendo na porta da minha casa, enquanto lavava o meu carro. Precisamos ter uma cultura de paz e sem violência no Bugio o quanto antes”, declarou.

A dona de casa Everilda Pereira relatou casos de síndrome do pânico que estão mudando a rotina das pessoas após passarem por situações violentas durante assaltos. “Já tenho pessoas com pânico e beirando a depressão tudo isso com medo da violência do nosso bairro. Essa doença pode levar à morte também, é preciso atenção”.

Para José Aragão, presidente da associação de moradores do Bugio, o problema é social. “Infelizmente, nós vivemos as falhas do governo federal com relação às políticas sociais nos bairros. É preciso fazer mais projetos como os que já existem, até aqui mesmo relacionado ao esporte e cultura para ocupar os jovens”, comentou.

A subtenente Wilka esclareceu todo o sistema do CIOSP e salientou que as falhas do 190 também precisam ser repassadas. “Nós somos o coração da segurança pública e toda a tecnologia. Hoje em dia, é bem mais fácil passar a sua emergência e com isso derrubamos muitos protocolos. Se existem falhas no nosso sistema, precisamos saber para analisar com processos administrativos. Mas, vocês precisam denunciar também”, ressaltou a policial.

Para Zezinho, esse primeiro momento foi de grande relevância. “Esse encontro é para que todos vocês se conscientizem e repassem para as pessoas que nós podemos e precisamos denunciar também. Através dos boletins de ocorrência, a polícia pode trabalhar nos locais específicos e também mostrar resultados”.

Policial por mais de 20 anos, o vereador destacou ainda o grande serviço prestado por todos os policiais diariamente. “Espero também que vocês entendam a dedicação desses profissionais que fazem tanto pela segurança. Mesmo com todas as dificuldades e escassez de material humano ou de IPI”, finalizou Zezinho.