“Temer fará o fechamento da Fafen pós-eleição”, disse Zezinho Sobral

Por Keizer Santos

Publicado em 18/05/2018 as 10:31
Fotos: Carlos Aristóteles

Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Maruim, realizada na noite desta quinta-feira (17), o ex-secretário de Estado, José Macedo Sobral, o Zezinho Sobral, palestrou sobre o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen/SE) e seu impacto à economia sergipana. Em sua explanação, Zezinho Sobral falou que o presidente Michel Temer fará o fechamento da Fafen pós-eleição.

Na avaliação do ex-secretário, os sinais estão expostos. O fechamento da fábrica é questão de tempo. “A medida do governo federal em hibernar, é uma metáfora, para não dizer de imediato que vai fechar a unidade”, disse Zezinho Sobral. Sobral destacou que defende o funcionamento da fábrica por seu valor social e econômico. “Aqui em Maruim existem três misturadoras de fertilizantes, que poderão ser atingidas diretamente com o fechamento da Fafen”, alertou.

O fechamento da Fafen não atingirá somente o município de Laranjeiras, onde a empresa está situada. As consequências atingirão todos os municípios, pois haverá redução no ICMS, falta de investimentos e aumento do desemprego.
Com o fechamento da Fafen, 250 trabalhadores efetivos podem ser transferidos para outras unidades e 475 terceirizados ficarão desempregados.

“O fechamento da Fafen é um desrespeito com o dinheiro público investido na fábrica”, disse Sobral, que tem formação em engenharia agronômica pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Direito pela Universidade Tiradentes (Unit).

O prefeito de Maruim, Jeferson Santana, que também participou da sessão ordinária, manifestou preocupação com o fechamento da Fafen, em Sergipe. “Desde a primeira mobilização em Laranjeiras, tenho acompanhado os desdobramentos. Nos preocupa os impactos negativos gerados pelo fechamento da fábrica”, afirmou.

Os vereadores de Maruim devem aprovar, na próxima semana, uma moção de desagravo contra o fechamento e cobrar explicações do Governo Federal.

De acordo com a Petrobras, a fábrica de Sergipe entrou em operação em 6 de outubro de 1982 e ocupa uma área de 1 Km². A fábrica produz amônia, uréia fertilizante, uréia pecuária, uréia industrial, ácido nítrico, hidrogênio e gás carbônico. Desde 2014, a Fafen conta com uma planta de produção de sulfato de amônio com capacidade para produzir até 303 mil toneladas/ano. O sulfato de amônio contém nitrogênio na composição e também é excelente fonte de enxofre, muito utilizado no cultivo de milho, cana-de-açúcar e algodão.

Além do prefeito de Maruim, Jeferson Santana, também participaram da sessão a presidente da Câmara de Maruim, Maria Angélica; os vereadores Jailson Costa, José Araújo, Sérgio Vieira, Clóvis Menezes, Ermerson Porto, Nilton Viana, Moisés Azevedo e Genival Pereira; o assessor especial da Câmara de Vereadores de Maruim, Moacir Mota; o vereador de Simão Dias, Professor Abraão; os secretários municipais de Maruim Pedro Henrique (Administração), Jackson Andrade (Indústria e Comércio) e Paulo César Santana (Agricultura).