Milton Dantas, um grande dirigente.

Por Carlos Batalha

Publicado em 06/09/2017 as 10:31

O futebol sergipano já viveu seus grandes dias. Início da década de 70 com a inauguração do Batistão, e pelo menos até meados da década de 90, tivemos grandes momentos e memoráveis jornadas na prática do principal esporte brasileiro.

Revelando grandes craques oriundos das divisões de base (comentaremos o fato em outro artigo), casa cheia em quase todos os jogos, e contando com grandes dirigentes comandando os clubes e até mesmo a federação, o nosso futebol era respeitado em toda região nordeste.

Passado esse período, entramos em um total declinio, com o público fugindo dos estádios, ao ponto de vermos jogos com oito ou dez pagantes.

Durante o período de declínio do nosso futebol, tivemos alguns esforçados dirigentes nos nossos clubes e também na federação, a exemplo do presidente Carivaldo Souza, mas não o suficiente para tirá-lo do marasmo.

Agora, a partir do final do ano passado, quando assumiu a FSF o dirigente Milton Dantas, o horizonte é outro. Apaixonado pelo futebol, tendo presidido com sucesso a Associação Desportiva Confiança, tendo inclusive conquistado títulos, Miltinho, como é carinhosamente tratado, logo de cara começou a dar ares de profissionalismo ao nosso campeonato.

Em muito boa hora firmou um contrato de transmissões de jogos do campeonato sergipano com a TV Atalaia, conseguiu um excelente contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal, além de outros, e realizou com sucesso o campeonato de 2017.

Contando com muito prestígio e amizade junto a Confederação Brasileira de Futebol, onde agora no dia 25 viajará para a Índia presidindo a Seleção Brasileira sub 18 que disputará o mundial da categoria, a exemplo do que já ocorrera no Chile, Miltinho já trabalha muito pensando no certame de 2018, e os torcedores podem aguardar que muitas novidades virão para o próximo ano com o espírito empreendedor do jovem presidente.


Carlos Batalha

Jornalista e radialista tendo iniciado a sua vida profissional na Radio Sociedade da Bahia. Chegou em Aracaju para trabalhar na Rádio Cultura de Sergipe passando por vários outros orgãos da nossa imprensa a exemplo da Rádio Jornal, Rádio Liberdade, Rádio e Tv Aperipê onde foi inclusive seu superintendente. Trabalhou também como apresentador na TV Atalaia, TV Jornal e TV Cidade. Exerceu na vida pública os cargos de assessor especial do governo Augusto Franco tendo sido Secretário de Estado de Comunicação e de Esportes no período de 2003 a 2007 e Secretário de Comunicação Municipal da Prefeitura de Aracaju no período de 2013 a 2016.