CREF 20/SE "bagunça" o curso de Educação Física no estado

Por André Zaady

Publicado em 05/04/2017 as 10:04

Durante muito tempo Sergipe foi submisso às decisões do Conselho Regional de Educação Física da Bahia (CREF 13/BA) e isso nunca foi visto com bons olhos pelos profissionais em exercício em nosso estado. A demora pra tomar decisões, a falta de fiscalização nas academias e escolas e até mesmo a não coerência nas informações apresentadas foram apenas algumas das diversas reclamações de acadêmicos e já formados na profissão citadas para nossa equipe. O que teria somado junto a algumas outras exigências legais já estabelecidas para a implantação de um conselho fiscalizador próprio chamado de CREF 20/SE.

Em seu primeiro ano de fundação, o Conselho, representado por Gilson Dórea, toma a decisão de dar aos provisionados que não têm embasamento técnico, e também aos licenciados, o privilégio de conseguir autorização para atuar na área do bacharelado. Como isso pode acontecer? É assim: aos provisionados, que nunca estudaram o curso superior em educação física, mas que atuaram por algum tempo na área, e aos licenciados, que estudaram três anos, foi dada a oportunidade de estudarem um ano em curso complementar que daria a eles a autorização para atuarem como bacharéis na área de educação física.

Uma outra novidade que causou mal estar na classe e dividido opiniões é que esses direitos só seriam conquistados através de uma única universidade particular, a Universidade Tiradentes (UNIT), incluindo também, a implantação do curso online (EAD) na instituição, diminuindo assim os custos de manutenção no espaço físico do prédio onde aconteceriam aulas presenciais.

Nossa equipe ouviu alguns alunos e profissionais da área para saber o que eles pensam a respeito desse acordo. “Com toda essa conjuntura eu me sinto desrespeitado, pois escolhi a profissão que eu queria seguir e decidi trabalhar com treinamento. Procurei um curso superior, estudei por 4 anos, me apliquei para não perder nenhuma matéria e hoje estou disputando espaço com pessoas que escolheram por vontade própria a licenciatura e que agora podem ter a mesma profissão que eu estudando apenas 1 ano” – disse o bacharel Jadson Júnior. Dividindo opiniões, um estudante da área, Newton Santos, também inconformado afirma que concorda que um licenciado consiga esse direito, mas não está de acordo que o provisionado tenha o privilégio: “Isso é inadmissível, precisamos acionar o ministério público urgente!"

Diante de tudo isso, o presidente do Conselho Regional de Educação Física (CREF 20/SE), Gilson Dórea, foi intimado a prestar esclarecimentos por outras faculdades e esteve reunido na tarde da terça-feira, 21 de março, com o coordenador do curso de Educação Física, Marcelo Mendonça, juntamente com o diretor geral do curso, Marcos Antônio, ambos representantes da Faculdade Estácio/Fase.

A pauta da reunião prevê a parceria entre as duas instituições, onde se espera firmar um convênio que possibilite descontos nos cursos de graduação - licenciatura e bacharelado - bem como, nos cursos de pós-graduação para a área. A proposta lançada pelo Conselho será avaliada pela instituição, que decidirá qual será o percentual de desconto para os cursos que serão ofertados para os registrados do CREF 20/SE. Ou seja, além da UNIT, também a Estácio/Fase pode participar do mesmo acordo.

“Essa ação dá continuidade a um dos projetos do CREF 20/SE, que pretende viabilizar o acesso dos profissionais em sua qualificação, seja ela na área da licenciatura, bacharelado, ou nos cursos de pós-graduação.” - diz a Ascom CREF 20/SE.

Mas e você? O que acha dessas mudanças?