Investir em Esporte é solidificar o bem-estar e reduzir a violência!

Por Karolyne Costa

Publicado em 03/04/2017 as 10:03

Não é novidade para ninguém o quanto a violência no país tem aumentado. Os elevados índices tem preocupado a população que se sente insegura diante da enxurrada de notícias ruins que saem todos os dias nos telejornais.

Sabemos que a violência no Brasil é derivada de diversos fatores, entre eles a desigualdade social que insiste, ainda, em fazer parte da estrutura brasileira. Muitos apostam que a arma mais importante de combate tanto a violência como a desigualdade é o investimento em educação, de fato, isso é extremamente essencial, mas não é o suficiente.

Sem a educação a sociedade não muda, mas é preciso ir além disso. É preciso garantir os demais direitos que a constituição nos ajuíza, como o direito a prática de desportes. O esporte é inclusivo, ele ajuda ao cidadão na interação e no respeito com o seu próximo, ele transforma vidas, faz com que crianças e adultos superem seus próprios limites.

Pela constituição é dever do Estado, da família, da comunidade e da sociedade em geral facilitar práticas e assegurar com absoluta prioridade atividades desportivas formais e não formais, como direito de cada um. Em um momento tão difícil como o que passa o país é preciso valorizar aqueles que de alguma forma contribuem para que esse direito seja acessados por todos.

É preciso que a sociedade e seus organismos se unam nesta luta, que cada vez mais invista-se em esporte.

Como exemplo de organismo que tem um projeto destacável nessa área e que sabe da importância deste compromisso para o crescimento e contribuição de bem-estar do país podemos citar a Caixa Econômica.

A Caixa Econômica tem um admirável programa de incentivo ao esporte, os fundos de investimentos são arrecadados pelas loterias, quase 50 % do valor é investido em diversas áreas esportivas.

Assistimos ano passado um dos maiores e mais bonitos eventos do mundo: as olimpíadas. Vivenciamos tantas bonitas histórias de vida, que obtiveram sucesso graças ao programa de incentivo a atletas da caixa, que atua em quatro modalidades: atletismo, ciclismo, ginástica e luta olímpica!

Mas na realidade o grande destaque e diferencial da Caixa é que ela não apenas patrocina atletas de alto nível, seu programa é extensivo ao esporte amador, que cada vez mais produz grandes eventos coletivos e revela talentos. Sem falar dos patrocínios aos atletas Paralímpicos.

O Brasil precisa de mais entidades, sejam públicas, privadas ou mistas, que se preocupem com a prática esportiva. O esporte é um grande aliado da inclusão social e consequentemente do combate à violência, certamente a educação só se solidifica quando é acompanhada pela prática de esporte.

A prática esportiva traz benefícios a todo mundo, quanto mais a sociedade tiver consciência disso mais caminharemos para um estado de bem-estar comum para toda sociedade. O Estado sozinho não é capaz de suprir a necessidade que o país tem. É preciso que cada vez mais aqueles que fazem parte deste todo invistam nisso.




Karolyne Costa

Economista com mestrado em desenvolvimento regional e gestão de empreendimentos pela UFS, professora voluntária de Economia Brasileira no curso preparatório da Anpec do DEE/UFS. Consultora Financeira e Assessora Parlamentar.