O quarto de Jack, os seus erros e acertos

Por André Zaady

Publicado em 06/08/2018 as 14:46

Do diretor Lenny Abrahamson, o filme de 2015, “O quarto de Jack”, nos chama a atenção pela versatilidade do diretor em suas técnicas cinematográficas. O roteiro é interessante, nada previsível e a atuação de todos nesse filme nos converte à vivência àquela situação dramática e chega a causar até um certo incômodo, o que é muito bom. Porém, o filme peca em três pontos: O primeiro, no sumiço repentino do personagem Grandpa (Willian H. Macy); o segundo é o que de fato aconteceu com Sean Bridgers, o tido como vilão da história e terceiro, senti a falta de uma maior exploração do primeiro momento do filme e um ritmo mais elevado do drama em que o filme se propõe a fazer no segundo momento.

O longa conta a história de Jack (Jacob Tremblay), um garoto que tem cinco anos de idade e não conhece nada do mundo, além do quarto onde nasceu e foi mantido em cativeiro ao lado de sua mãe (Brie Larson).

O filme foi o vencedor do Globo de ouro de melhor atriz e também do Oscar na mesma categoria e você pode conferir esse trabalho do Lenny na Netflix. Vale a pena conferir!


André Zaady