Estudantes do Curso de Medicina da Unit visitam UPA Nestor Piva

Por Ascom/Nestor Piva

Publicado em 16/04/2019 as 21:03

Na manhã desta terça-feira, 16, turmas de estudantes da Universidade Tiradentes (Unit) visitaram as dependências da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva, na Zona norte da capital, com o objetivo de entender a distinção entre o atendimento ambulatorial o de emergência-urgência.

A comitiva se reuniu com o Dr. Eduardo Pinto (gestor da unidade), a a gestora Jória Dias, e o médico Walter Marcelo, quando foi apresentado detalhadamente a forma de funcionamento da UPA. Após uma apresentação da capacidade instalada e do processo de trabalho no Nestor Piva, foi realizada uma visita às instalações.

Para a estudante Elisa Cardim, na Universidade vive-se uma realidade totalmente diferente da encontrada na UPA. Além disso, segundo a acadêmica, com a visita foi possível constatar uma realidade totalmente contrária do que se passa na mídia em relação ao funcionamento da unidade.

“Enquanto achávamos que tratava-se de um ambiente conturbado e com desorganização, percebemos o contrário. O fluxo de atendimentos é bem organizado, o que nos provoca a sermos médicos mais humanos”, revelou Elisa.

Outro sentimento despertado após conhecer a operacionalidade da unidade, de acordo com Elisa, foi o despertar para o desejo de se trabalhar aqui. “Sem dúvida, visitar a UPA no início do curso é muito ideal. Saímos de uma realidade na Universidade totalmente alheia ao que observamos na prática”, finalizou.

Durante toda a presença no Nestor Piva, estudantes tiveram a possibilidade de começar a conhecer a rede de urgência do estado de Sergipe e, principalmente, conhecer a estrutura diferenciada que tem uma UPA em relação a uma unidade básica de saúde.

Conforme explicou o Dr. Walter Marcelo (professor da turma), com a visita os estudantes começaram a perceber que uma estrutura como essa se deve ficar para os sofrimentos mais urgentes. “Foi bastante importante para que eles saibam a diferenciação entre a unidade básica de saúde como porta de entrada do sistema que deve resolver 80% dos problemas da população, e do atendimento de urgência prestado à partir de uma unidade de pronto atendimento”, concluiu Dr. Walter.