Atendimentos no Nestor Piva voltam à normalidade

Por Agência Aracaju de Notícias

Publicado em 09/01/2019 as 15:29
Foto: Sergio Silva

No início da tarde desta terça-feira, 8, o atendimento no Hospital Nestor Piva começou a ser normalizado. Aos poucos, a população voltou a procurar a assistência na unidade e, de ontem para hoje, foram realizados 139 atendimentos. O hospital chegou a ser interditado temporariamente pelo Conselho Regional de Medicina (Cremese) e a retomada das atividades só foi possível graças ao contrato emergencial de uma empresa terceirizada, que passou a ficar responsável por toda administração da unidade, da segurança e composição das escalas profissionais, ao abastecimento de medicamentos.

A regularização do atendimento começou a partir das 13h de ontem, quando a clínica-médica foi liberada. “Estamos com quatro médicos em toda a escala, atendendo durante a manhã, tarde e noite. Todos os pacientes que nos procuraram receberam o atendimento, passando pelo acolhimento, pelos médicos e sendo medicados. Os pacientes que ainda estão internos,  estamos fazendo transferência para os leitos de retaguarda que foram contratados pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para o Hospital São José, mas, os pacientes que nos procuraram para clínica-médica estão sendo atendidos”, explicou a coordenadora geral do Nestor Piva, Camila Beatriz Oliveira. 

A coordenadora informou ainda que estão aguardando o Cremese para a liberação da área cirúrgica, com a apresentação das escalas que já foram fechadas. “A secretária da Saúde estará aqui na unidade ainda na manhã desta quarta, junto ao Conselho, para que seja feita essa liberação. Estamos fazendo tudo dentro do que foi acordado e conforme a necessidade. Nossa escala está definida e, como orientação do próprio Cremese, estamos com quatro médicos realizando o atendimento”, reforçou Camila. 

Da recepção até as demais alas do hospital, o movimento esteve tranquilo durante a manhã e, aos poucos, os pacientes foram retornando à unidade. Uma das pacientes que esteve logo cedo na unidade foi a autônoma Sueli Alves dos Santos. “Tive um mal súbito e precisei passar pelo médico. Cheguei no Nestor Piva e fui atendida com agilidade e sem problemas. O atendimento foi rápido e logo realizei os procedimentos que precisava”, afirmou. 

Passando pela área da medicação rápida, a dona de casa Leosina de Melo Santos também não teve problemas para ser atendida nas primeiras horas desta terça. “Achei tudo tranquilo quando cheguei e logo fui atendida. Tudo o que eu precisava fazer, consegui com agilidade”, disse. 

Com o braço esquerdo adormecido, a costureira Suzana Maciel se preocupou e correu para ser atendida no Nestor Piva. Chegando à unidade, foi atendida de pronto. “Não tive dor de cabeça para ser atendida e, pouco tempo depois que cheguei, já estava recebendo a medicação que precisava. Está tudo organizado e, para nós, pacientes, isso é o que importa”, destacou.