Aracajuanos aproveitam Área de Proteção ao Ciclista na Orla

Por Agência Aracaju de Notícias

Publicado em 30/07/2018 as 10:09
Fotos: Ana Licia Menezes

Primeiras horas do dia, céu azul e muita gente com disposição para utilizar a Área de Proteção para a Prática de Ciclismo (APPC). Localizada na Orla de Atalaia, num percurso de 2,5 km, que vai do antigo hotel Parque dos Coqueiros até o Oceanário, o espaço é um sucesso entre os sergipanos, que usam democraticamente a área.

Às terças e quintas-feiras, a APPC funciona entre 4h30 e 6h30 da manhã. Nesses dias, a área é mais utilizada para a prática do ciclismo, como o próprio nome sugere. Mas aos sábados, quando o funcionamento é das 5h às 10h, há uma maior utilização do espaço, que passa a ser usado também por corredores profissionais e amadores. O professor César Pavão, adepto do ciclismo há três anos, destaca o uso da Área de Proteção por toda a família, não só para os adeptos da corrida ou do ciclismo. "É interessante e muito bom a população ter um espaço para a prática de esportes, andar de bicicleta e trazer as crianças. Eu acho a iniciativa bastante válida", disse.

E não é difícil encontrar famílias reunidas na APPC. O supervisor técnico Anderson da Silva também aproveitou o sábado livre para dar um passeio de bicicleta com o filho Maurício, de sete anos. "Eu já pedalo bastante e sempre que posso trago meu filho junto. É um ótimo de espaço de lazer, onde ele pode andar de bicicleta sem medo. Esse é um momento nosso de parceria", pontuou.

Já a engenheira civil Rosa Angélica Nóbrega, utiliza o espaço para corrida. Todo sábado é certo. Para encontrá-la, basta ir à Área de Proteção. Corredora há quatro anos, ela acredita que o espaço estimula a prática do esporte. "Essa área é uma coisa muito positiva, que está tirando muita gente do sedentarismo. Eu vejo muita gente que morava aqui nas redondezas caminhando, daqui a pouco correndo. Também é um auxílio às próprias assessorias que treinam durante a semana na 13 de Julho e no sábado todo mundo vem para a Orla", opinou.

Para a corretora de imóvel Cláudia Costa, que treina corrida há cinco anos, o projeto da APPC é bastante adequado, já que a área possibilita uma interação entre os atletas e é bem localizada. "A gente tem segurança, corre com tranquilidade e também motiva pessoas de outras faixas de idade a virem. Além disso, ainda dá para dar um banho de mar depois do treino. Todo sábado, quando eu tenho um pouco mais de tempo, eu aproveito isso", contou.

A segurança também é um ponto destacado por Ingrid Lima, assistente social, que utiliza a área para correr e pedalar. "Eu moro próximo e ando de bicicleta há quatro anos. Antes eu pedalava na parte de trás da Orla, onde não tinha tanto movimento. Depois da implantação dessa área ficou bem melhor. Eu também corro, mas prefiro pedalar. Eu acabo usando esse espaço para as duas coisas. Tem vários tipos de prática de esportes aqui", elogiou.

Avaliação positiva

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, a Área de Proteção para a Prática de Ciclismo foi aposta que deu certo. "Primeiro fechamos aqui para que os ciclistas e os atletas que praticam triátlon pudessem treinar. Com o tempo, o local foi sendo incorporado ao pessoal que corre. Hoje, principalmente aos sábados, vira uma área em que as pessoas praticam esportes e trazem crianças para brincar. Essa área se tornou um espaço de lazer importante para a cidade", afirmou.

Segundo ele, o projeto da APPC é inovador e já mostrou sua viabilidade e importância para os praticantes de esportes. "Eu estou muito feliz porque foi uma ideia que eu incorporei como prefeito e hoje é um grande sucesso. Nós vamos fazer mais. A nossa ideia é implantar em outros locais e, talvez, até ampliar na Atalaia. Estamos analisando essa possibilidade", declarou Edvaldo.

Para o secretário municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp), Jorge Araujo Filho, a Área de Proteção se tornou um local muito utilizado, principalmente, por ser um espaço público seguro dedicado para à prática esportiva. "Estamos proporcionando o aperfeiçoamento dos ciclistas aracajuanos, através de um local específico de treinamento e, consequentemente, para que eles possam se sair melhor nas competições que participam. Aos sábados, temos uma grande participação dos clubes de triátlon e de corrida, que também se reúnem, montam suas tendas e seus espaços. A ONG Ciclo Urbano, por exemplo, também tem estado presente e estamos acompanhando", disse.

Ainda segundo o secretário, com nove meses de funcionamento, é possível afirmar que a Área de Proteção para a Prática de Ciclismo contribuiu com o aumento da prática de esportes na cidade. "Temos muito o que comemorar por essa demanda ter aumentado. A nossa intenção era de fomentar e trazer segurança para a prática esportiva e, hoje, a APPC virou hábito de muitos aracajuanos. A cidade se acostumou, incorporou na rotina e não quer mais ficar sem", garante.

Perspectiva

A Área de Proteção para a Prática de Ciclismo foi criada por meio de um decreto em setembro do ano passado. De acordo com a decisão, ao complementar um ano, a gestão municipal terá que fazer uma avaliação e decidir o futuro do espaço. "Em setembro deste ano, teremos que tomar alguma medida, cumprindo o decreto. Com certeza, já me antecipo e afirmo que a avaliação é extremamente positiva. Não será uma medida que iremos suspender, porque desde sempre foi assertiva", comemorou o secretário Jorge Araujo Filho.