Sebrae apresenta Plano de Desenvolvimento para o Alto Sertão

Por Wellington Amarante

Publicado em 15/06/2018 as 18:47
Foto: UMC Sebrae

Documento foi construído com a participação de 40 lideranças da região.

Um conjunto de propostas que podem contribuir para a promoção do Desenvolvimento Sustentável do Alto Sertão sergipano e servir como suporte na implementação de políticas públicas que garantam a melhoria de seus indicadores sociais e econômicos. Esses são objetivos da Agenda Sertão 2030, um documento apresentado pelo Sebrae aos gestores públicos dos nove municípios que integram aquela região.

O Plano de Ações foi construído a partir da colaboração de quarenta representantes do poder público municipal, empresários e membros de entidades do terceiro setor e catalogadas por consultores especializados. A elaboração da proposta faz parte das atividades do Programa Líder no Alto Sertão Sergipano, desenvolvido pelo Sebrae desde o mês de novembro de 2017.

A partir da análise de potencialidades e oportunidades e dos reconhecidos desafios do território, o grupo Líder determinou como prioritários quatro eixos temáticos: a agropecuária, educação, energia limpa e o turismo. Para cada um desses eixos foram definidos opções estratégicas, objetivos prioritários, metas, indicadores e as iniciativas prioritárias detalhadas em: o que fazer, como fazer, quem fazer e quando fazer.

Na agropecuária, na visão dos líderes da região, o foco das ações deve ser voltado para o fortalecimento da bovinocultura leiteira, produção de grãos e agricultura familiar. Já em relação à Educação, é necessário priorizar temas como educação empreendedora, qualificação profissional, infraestrutura, ciência, inovação e tecnologia.

No que diz respeito à produção de Energia Limpa, a ideia é incentivar a utilização de energia solar, mas com ações extensivas a outras fontes viáveis, enquanto no Turismo a proposta é fortalecer os segmentos religioso, cultural, histórico, náutico, de aventura e gastronômico.

“A ideia é que essas propostas possam servir como ponto de partida para conseguirmos promover uma grande transformação nos municípios. Sabemos que para alcançarmos esse objetivo não devemos esperar somente o poder público fazer a sua parte e por isso estamos dando uma importante contribuição. Essas ações foram sugeridas por pessoas que vivenciam as dificuldades naquela região e que estão motivadas a mudar esse cenário”, explica o superintendente do Sebrae, Emanoel Sobral.

Espaço temporal

Considerando que o desenvolvimento não ocorre em função de medidas que se apliquem apenas no curto prazo, o Grupo de Líderes estabeleceu como espaço temporal necessário ao alcance de um novo estágio para as mudanças na região o marco de doze anos. Portanto, todas as formulações estratégicas contidas no documento determinam o ano de 2030 como horizonte de tempo.

“O que estamos querendo é que a nossa região seja reconhecida em um futuro próximo como um local desenvolvido, sustentável, que respeita as diversidades e bastante inovador. Para isso precisaremos do apoio de todos os segmentos da nossa sociedade. O nosso papel agora é trabalhar para que essas propostas sejam colocadas em prática e conseguir mudar o nosso sertão”, destaca o empresário José Augusto, de 77 anos, e morador do município de Nossa Senhora da Glória.

A escolha do Sebrae pelo Alto Sertão se deu por conta dos grandes desafios impostos para promover a transformação do Território. Segundo dados divulgados pelo Observatório de Sergipe, do Governo do Estado, a região concentra menos de 9% do Produto Interno Bruto Estadual. Além disso, a maior parte dos municípios apresentam baixos índices de Desenvolvimento Humano. A íntegra do documento está disponível no site www.se.sebrae.com.br.