Confiança do empresário do comércio é a melhor em 12 meses

Por Marcio Rocha

Publicado em 13/03/2018 as 18:22

Realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), com análise e interpretação do Departamento de Economia da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio), a pesquisa do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), apresentou um número animador, mostrando a volta da confiança dos empresários do setor terciário no momento econômico atual.

O índice continua seguindo em curva ascendente, atingindo o indicador de 107,7 pontos no mês de fevereiro deste ano. O índice é 2,8% maior que o medido em janeiro, indicando uma condição de otimismo moderado por parte dos empresários sergipanos. O índice também está em sua melhor medição no período de um ano, 11,2% superior ao mês de fevereiro de 2017, quando apontava 96,5 pontos.

O ICEC de Sergipe está na zona de otimismo pelo sexto mês consecutivo. Desde setembro do ano passado, o índice se apresenta com volume acima de 100 pontos, na escala que varia de 0 a 200. O índice 100 demarca a fronteira entre a avaliação de insatisfação e de satisfação dos empresários do comércio: abaixo de 100 pontos diz respeito à situação de pessimismo enquanto acima de 100 encontra-se a situação de otimismo.

Dentro do ICEC, existem subíndices que ajudam na melhor compreensão do quadro corrente da economia local. O Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) de fevereiro apresentou elevação de 5,4% em relação a janeiro deste ano, apontando 78,8 pontos, contra 73,4 no primeiro mês do ano. De toda forma, o indicador ainda está abaixo da zona de otimismo. O subíndice indica que para os empresários, a situação econômica ainda não é a adequada. Em termos percentuais, a economia piorou muito para 38,8% dos empresários entrevistados. Já para 33,4%, a situação melhorou pouco e 26,5% informaram que a economia piorou pouco.

Sobre as condições dos respectivos setores do varejo dos empresários entrevistados, 37,5% acreditam que as condições da área de atuação melhoraram pouco. Já 29,7% informaram que o setor piorou pouco e 29,1% informaram que o exercício da atividade em seu setor econômico piorou muito.

O otimismo dos empresários do comércio é moderado, em relação às expectativas, de acordo com a análise da Fecomércio. O subíndice indicador Índice de Expectativas do Empresário do Comércio (IEEC) atingiu o patamar de 152 pontos, o melhor índice em 11 meses, desde março de 2017. Os subindicadores Expectativa do Comércio e Expectativa das Empresas apresentaram 151,2 e 160,1 pontos respectivamente. Isso aponta o ânimo dos empresários em relação ao desempenho da atividade comercial e de sua própria empresa no cenário dos negócios.
A perspectiva de contratação de funcionários por parte dos empresários do comércio sergipano é sóbria. O subíndice Contratação de Funcionários apresentou 98,5 pontos em fevereiro, pontuação 0,6% maior que em janeiro. De acordo com a análise da Fecomércio, o quadro econômico atual, com alto índice de desemprego e quedas sucessivas no volume de vendas ainda mantém a prudência por parte dos empresários para contratações.