QUEBRANDO GELO NO CABARÉ

Por Carlos Batalha

Publicado em 12/06/2017 as 14:38

Transcorria o ano de 1975, em disputa o Campeonato Sergipano de Futebol. Àquela época o Club Sportivo Sergipe dominava inteiramente o nosso futebol, tendo sido campeão invicto de 74, e continuava no mesmo ritmo para aquele ano.

O seu presidente, era o querido amigo Aerton Silva, um dos grandes dirigentes que passaram em nosso futebol.

O Mais Querido era treinado pelo saudoso Alberto Meneses (grande figura que já não vive entre nós), e possuía em seu elenco grandes jogadores a exemplo de Onça, (ex-ídolo de torcidas como do Flamengo e do Bahia), Marcelo, Rubens, Dorgival, Cabral, Ricardo, Joãozinho e outros.

O consagrado Onça era o ídolo e líder da equipe, e por isso mesmo deveria dar o bom exemplo.

Certa noite, véspera de um jogo importante, Aerton recebe um telefonema de que o jogador estava no Cabaré de Ciganinha, folclórica torcedora rubra, que com suas meninas fazia a alegria dos atletas rubros.

Avisado do fato, Aerton chamou o treinador Alberto Menezes e o Cel Barreto Mota, apaixonado pelo clube, e juntos dirigiram-se ao cabaré.

Qual não foi a surpresa do trio quando lá chegando constatou-se a presença do jogador, inclusive ajudando no atendimento aos frequentadores, estando atrás do balcão quebrando gelo.

A bronca foi pesada, e com a ameaça de que se no jogo seguinte que seria contra o Confiança, o atleta jogasse mal a coisa iria ficar preta.

Resultado: CUTUCARAM A ONÇA COM A VARA CURTA. O jogador foi o melhor em campo, mergulhando até de cabeça nos pés dos jogadores adversários, garantindo a vitória, e tendo direito a na mesma noite retornar ao Cabaré, continuar o serviço, e até mesmo jogar em outros gramados. Kkkkkkk